Pular para o conteúdo
Home » Blog » O Que É Benefício Marginal? Aprenda A Calculá-Lo.

O Que É Benefício Marginal? Aprenda A Calculá-Lo.

uma mão desenhando

Economia é uma disciplina que impulsiona o mundo. Isso torna extremamente importante entender os conceitos de economia. Além disso, esses conceitos formam uma parte essencial do nosso cotidiano. Neste artigo, analisaremos detalhadamente o benefício marginal. Além disso, focaremos na relação e na diferença entre benefício marginal e custo marginal. Então, vamos mergulhar sem muito mais delongas.

O Que É Benefício Marginal?

Cada escolha que fazemos tem prós e contras. Quando usamos a palavra “marginal”, geralmente se refere a uma unidade adicional de algo. Aqui, o benefício marginal é o valor máximo que um cliente está disposto a pagar por um bem ou serviço extra.

Na maioria dos casos, a utilidade marginal tende a diminuir à medida que o consumo do bem ou serviço aumenta.

Por exemplo, um consumidor está disposto a pagar R$ 10 por uma unidade de chocolate. Neste caso, o benefício marginal de comer o chocolate é de R$10. No entanto, quando se trata da segunda unidade de chocolate, o consumidor pode estar disposto a pagar apenas R$ 8.

Agora, o benefício marginal reduz de R$10 para R$8. O conceito de benefício marginal explica por que os clientes estão dispostos a pagar um determinado preço por bens e serviços.

Como Calcular O Benefício Marginal?

Fórmula de benefício marginal
Fonte: educba.com

Agora que sabemos qual é o benefício marginal, vamos olhar para o método utilizado para calcular essa medida.

A fórmula para benefício marginal é chegada dividindo a mudança no benefício total (ΔTB) pela mudança na quantidade do bem ou serviço (ΔQ). Matematicamente, podemos mostrá-lo como:

Benefício Marginal = Alteração no Benefício Total (ΔTB) / Alteração na Quantidade (ΔQ)

Além disso, há outra maneira de calcular o benefício marginal. Podemos mostrar isso como:

Benefício Marginal = (TB1 – TB0) / (Q1 – Q0)

Onde

  • TB0 = Benefício Total Inicial na Quantidade Q0
  • TB1 = Benefício Total Final na Quantidade Q1
  • Q0 = Quantidade Inicial
  • Q1 = Quantidade Final

Exemplo de Cálculo de Benefícios Marginais

Façamos uma pequena modificação no exemplo do chocolate na seção acima. Suponha que uma pessoa esteja disposta a comprar cinco chocolates a R$8 cada. No entanto, ele quer comprar outro conjunto de 10 chocolates a R$4 cada. A questão é, a pessoa vai comprar todos os 15 chocolates com um desconto de 15%.

Aqui a quantidade inicial sem desconto, Q0 é 5.

Quantidade Final com 25% de desconto Q1 é 15

Total Bill sem desconto TB0 é R$40

Total Bill com 15% de desconto é R$102

Benefício Marginal é = (102-40) / 15-5

= 62 / 10 = R$6.2

Como o preço do próximo conjunto de chocolates é de R$ 6,2, que é superior a R$ 4, que é o que o consumidor está disposto a pagar, ele não vai comprar o próximo conjunto de chocolates.

Explicação da Fórmula de Benefício Marginal

Aqui estão os passos para calcular a fórmula de benefício marginal:

Passo 1: Determinar a quantidade inicial da mercadoria ou serviço consumido, bem como o benefício total que o consumidor deriva dela. A total disposição do consumidor para pagar pode ser usada como proxy para o benefício total. Q0 e TB0 representam a quantidade inicial e o benefício total, respectivamente.

Passo 2: Determine a quantidade final dos itens ou serviços consumidos, bem como a quantidade total de dinheiro que o consumidor está disposto a pagar por essa quantidade, que é denotada pelo Q1 e TB1, respectivamente.

Passo 3: Em seguida, calcule a mudança no benefício total, que é o benefício total final (etapa 2) menos a mudança no benefício total.

READ ALSO  Você É Substituível? Saiba Como Se Tornar Insubstituível.

Mudança no Benefício Total (ΔTB) = TB1 – TB0

Passo 4: Em seguida, calcule a mudança na quantidade consumida, que é a quantidade final (etapa 2) menos a quantidade inicial (etapa 1).

Variação da Quantidade (Q) = Q1 – Q0

Passo 5: Por fim, a fórmula do benefício marginal pode ser calculada dividindo-se a alteração do benefício total (etapa 3) pela mudança na quantidade (etapa 4), conforme mostrado abaixo.

Alteração no Benefício Total (TB) / Alteração na Quantidade (Q) = Benefício Marginal

(TB1 – TB0) / (Q1 – Q0) = Benefício Marginal

Como Encontrar Benefício Marginal?

Agora que entendemos a fórmula, vamos olhar para o processo para encontrar o benefício marginal.

Como encontrar benefícios marginais
Veja como encontrar benefícios marginais.

Identificar vendas atuais

O primeiro passo no cálculo do benefício marginal é determinar as vendas diárias atuais de um produto. Uma vez que você determinou quanto dinheiro um produto ganha em vendas, você pode considerar qual ponto de preço atrair as pessoas para comprar outro produto.

Por exemplo, uma barraca de limonada vende um copo de limonada a R$4. O custo dos limões e dos copos de plástico é de R$2. Agora, se o vendedor consegue vender 200 copos por dia, então os ganhos atuais do estande são de 400 reais.

Promover novas ofertas

Faça pesquisa de mercado e compare os preços de seus concorrentes para uma xícara extra de café para fazer um palpite calculado sobre o benefício marginal para seus clientes. Promova essa nova oferta em seu menu para ajudar a aumentar a conscientização do cliente e o compartilhamento da mente.

No exemplo acima, depois de revisar os preços do estande vizinho, o vendedor decide dar um copo extra de limonada a R$ 3. Isso ainda lhe dá um lucro de R$1.

Além disso, ele anuncia que cada pessoa que comprar um copo receberá o segundo com desconto.

Avaliar a satisfação do cliente

Examine as vendas diárias que a unidade adicional gerou a um preço mais baixo. Se você está insatisfeito com o lucro, considere baixar ainda mais o preço.

Continuando com o exemplo acima, digamos que o copo adicional de limonada levou a um total de 400 vendas. Com R$1 como lucro do vendedor, seu lucro total é de R$ 400. Então, ele decide encorajar as pessoas a comprar outro copo de limonada.

Refinar oferta

Se o benefício marginal atual não gerou vendas suficientes de clientes, considere baixar o preço da oferta. Seria melhor se você ainda considerasse os custos de produção e o potencial de lucro.

No caso acima, o vendedor acredita que se cada copo de limonada for vendido a R$ 2,75, mais dinheiro será ganho.

Determine o benefício marginal do aumento das vendas

Se uma empresa vê um aumento significativo nas vendas após a re precificação de um produto a um preço mais baixo, ela pode estabelecer que este é um benefício marginal para os clientes.

Após essa nova oferta, o vendedor de limonada vê que as vendas aumentaram para 800 pedidos por dia. Além disso, isso significa que os lucros diários agora são 0,75 *800 = R$600. O benefício marginal, neste caso, para cada copo adicional é de 75 centavos.

Por Que A Curva De Demanda É Referida Como Uma Curva De Benefício Marginal?

A curva de demanda é um gráfico de linha que mostra a relação entre quantidade e preço.

Curva de demanda
Curva de demanda

Ele retrata as diferentes quantidades de um bem ou serviço que será comprado a preços diferentes. Os pontos de preço estão ao longo do eixo Y, enquanto a quantidade está ao longo do eixo X. Geralmente, se todos os outros fatores permanecerem os mesmos, a quantidade exigida diminuirá à medida que o preço aumenta.

READ ALSO  Carreira Em Marketing: Tipos E Habilidades Necessárias

Além disso, as curvas de demanda podem mudar com mudanças em fatores externos, como renda e preferências. Um aumento ou diminuição das demandas faz com que esses turnos para a direita e esquerda da curva de demanda original.

Agora, geralmente, as pessoas veem a curva de demanda como quantidade de condução de preços. Ou seja, à medida que a demanda por quantidade diminui, há um aumento no preço e vice-versa. No entanto, vamos ver como as coisas mudam se a mesma curva é vista de forma diferente. Ou seja, vê-lo como preço de condução de quantidade.

Digamos que façamos carros. Em vez de dizer quantos carros venderemos a R$50.000, diremos quantos carros venderemos se fizermos apenas um carro semanalmente.

Agora, quanto mais unidades de um bem particular que se consome, mais benefícios ele terá. No entanto, o benefício marginal diminui com cada unidade extra consumida. Então, por causa dessa correlação negativa, a curva de demanda ou a curva de benefício marginal tem uma inclinação descendente.

Uma vez que a curva de demanda mede o benefício marginal de cada unidade adicional, o fornecedor não deve produzir nada além da curva de demanda, pois vai impor um custo marginal e não um benefício marginal.

O Que Acontece Quando O Benefício Marginal De Uma Saída Excede O Custo Marginal?

É preciso recursos como mão-de-obra para criar qualquer tipo de produto. Agora, uma empresa não pode aumentar o capital de giro no curto prazo. Então, decide aumentar o número de trabalhadores. No entanto, a contratação de mais pessoas não se correlaciona diretamente com a saída além de um certo ponto.

Suponha que você possui uma fazenda de repolho e só tem um caminhão para transportar os repolhos para o mercado onde são vendidos. Você pode contratar alguém para desenterrar os repolhos, lavá-los e transportá-los para o mercado.

Agora, vamos olhar para os cenários como você vai em frente e contratar mais pessoas para trabalhar em sua fazenda. Quando você trabalha sozinho, você tem que trocar de emprego com frequência, gastando muito tempo.

Ao recrutar seu primeiro funcionário, um de vocês pode desenterrar repolhos enquanto o outro os lava e os transporta para o caminhão à venda.

Dois escavadores e duas arruelas podem operar com quatro trabalhadores enquanto você dirige o caminhão.

Isso funciona bem — com seus quatro primeiros trabalhadores, cada pessoa melhora a eficiência geral da operação, e o caminhão agora está sendo utilizado em tempo integral.

Quando você começar a recrutar trabalhadores adicionais, seu caminhão em breve será incapaz de transportar e transportar todos os repolhos, e as pessoas terão que esperar que você retorne e recarregue.

Porque você não pode acelerar o caminhão, quanto mais pessoas você adiciona à força de trabalho, mais tempo você vai esperar. Quando os trabalhadores estão esperando, isso implica que você está pagando-os sem fazer nenhum trabalho extra, tornando todos menos produtivos.

Economias de Escala

Economias de Escala
Fonte: =xplaind

À medida que você começa a contratar mais pessoas para trabalhar em sua fazenda e o custo médio continua diminuindo, esse fenômeno é conhecido como “Economias de Escala”. No entanto, quando você contrata trabalhadores além de um certo limite, e há pessoas esperando para usar o caminhão, os custos médios começam a aumentar. Isso é conhecido como “Diseconomies da Escala”.

READ ALSO  Desemprego: 8 Dicas De Como Lidar Com Desemprego

Enquanto o benefício marginal for maior do que o custo marginal, você lucrará mais quando produzir e vender uma unidade extra.

Qual É A Diferença Entre Benefício Marginal E Custo Marginal?

As empresas precisam saber a diferença entre benefício marginal e custo marginal. Isso ajudará a formular melhores planos e estratégias de marketing para seus produtos.

Além disso, manter um equilíbrio entre o custo marginal e o benefício marginal é essencial para a gestão de um negócio sustentável. Aqui, exploramos a relação entre custo marginal e benefício marginal.

Custo Marginal

Esta é a mudança mensurável no custo que ocorre com cada unidade adicional produzida. Existem vários tipos de custos marginais. Estes são:

Custos Unitários: São custos que levam a aumentos de custos globais. Exemplos são os custos de material e fornecimento.

Custos do lote: Estes dependem de lotes de produção em vez das unidades individuais. As empresas podem usar mais equipamentos específicos para produzir mais lotes e incorrer em menos custos. Os custos do lote dependem dos custos de material e fornecimento.

Custos do produto: Os custos para projetar um produto e levá-lo ao mercado são conhecidos como custos do produto.

Custos do Cliente: Os custos de atendimento ao cliente e relacionamento com o cliente se enquadram nessa categoria.

Custos Organizacionais: Custos operacionais, como salários, fazem parte dos custos organizacionais.

Agora, a fórmula para o custo marginal é:

Custo Marginal = Variação de Custo / Alteração na Quantidade

Tipos de Benefícios Marginais

Semelhante aos custos marginais, existem diferentes tipos de benefícios marginais também. Vamos dar uma olhada neles abaixo:

Benefício Positivo: Uma pessoa que gosta de doces pode experimentar mais felicidade em obter um segundo doce.

Benefício Negativo: Muitos dos mesmos produtos podem ter o efeito oposto. No exemplo acima, muitos doces não vão aumentar sua alegria. Ele pode se sentir mal em vez disso.

Benefício Zero: Isso acontece quando o consumidor não ganha felicidade nem experimenta insatisfação. Uma pessoa pode parar de comer ou comprar doces quando sente que já teve o suficiente.

Quando os consumidores pagam menos enquanto compram produtos adicionais, os lucros aumentarão se os custos marginais forem baixos. No entanto, os lucros diminuirão caso os custos marginais sejam altos.

O que acontece quando o benefício marginal é igual ao custo marginal?

Pode-se alcançar a eficiência do mercado quando o benefício marginal é igual a custo marginal. A quantidade de mercadorias produzidas é exatamente o que os clientes querem. Além disso, o lucro geral maximiza quando o benefício marginal é igual a custo marginal.

Conclusão

O benefício marginal é uma métrica importante. Isso porque ajuda as empresas a decidir seus custos e estratégias de produção. Com o benefício marginal em mente, as empresas também sabem quantas unidades de cada produto fazer. Além disso, essa medida é essencial para os consumidores. Ajuda-os a decidir os preços aceitáveis para vários bens e serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!